quinta-feira, 3 de janeiro de 2008

Baleias, icebergs e alegria de fazer ciência (Whales, icebergs and happiness for doing science)

Acordar de manhã na Antárctica é sempre curioso pois parece que ainda estás num sonho...a paisagem continua deslumbrante! Este iceberg tinha um tamanho de altura estimado entre os 30 e os 50 metros....GIGANTE!


















Percebi algo importante. Se existe algo que move os cientistas, uma delas é certamente a sua grande curiosidade pelo que os rodeia.

Hoje foi um desses casos. Assim que se soube que havia uma baleia Minke (pesa por volta das 10 toneladas) nas proximidades, muitos de nós foi a correr conhecer este habitante habitual da Antárctica, mas que ainda se conhece muito pouco. Fez-nos companhia cerca de 30 minutos e depois foi à sua vida, tão naturalmente como tinha aparecido. Fantástico!




















Quem ficou muito contente foi Jon, que tirou a foto acima. Foi um dos primeiros a chegar à popa do navio (parte de trás do navio) estava delirante com a sua foto. Bem disposto, e sempre com um sorriso, Jon, que confidenciou-me que já perdeu conta após as 15 vezes que veio à Antárctica, em expedições cientificas em estudos associados à biologia.


























A Alegria do Jon deve-se também à pescaria de hoje tem corrido bem. Temos apanhado bastante krill, o camarão do Antárctico e que a maioria dos cientistas presentes neste cruzeiro precisam para fazer os seus estudos. Os dados do sistema acústico (que identifica organismos, seja peixe, lulas ou crustáceos como o camarão) dizia que o krill estava nas proximidades...quanto mais vermelho mais krill...



















(It is brilliant waking up in Antarctica...sometimes still seems like a dream! The view is breathtaking. Today was particularly fun because we had the visit of a minke whale that stayed for quite a bit. Jon was quite proud of his photo. Workwise wasquite productive too...krill is quite abundant)

3 comentários:

Alexandre disse...

Boas Camarada

Parabéns pela tua primeira travessia desse grande marco (os 60º Sul).

Continua a fazer muita ciência!

Abraço

Madalena disse...

Olá José Xavier,
Sou professora de Geografia na Escola Secundária de Palmela e faço parte do grupo dos professores inscritos no Latitude60 (tivémos, no ano passado, projectos conjuntos com alunos do Pinhal Novo).
Gostava de te fazer duas perguntas:
1- Vais encontrar-te com os "students on ice" e os alunos portugueses?
2- Qual é o fuso horário aí em "baixo"?
Continuação de uma boa expedição e bom ano cheio de boa ciência polar!Um grande abraço.
Madalena Mota

Jose Xavier disse...

Querida Madalena

Obrigado pelas palavras! Está tudo a correr lindamente. Em relação às suas questões: 1- Gostaria de me encontrar com os alunos mas não será possivel pois a ciência tem de ser feita e seria muito longe (apesar de estarmos quase ao lado uns dos outros), 2 - Fuso horário. Aqui estamos 3 horas atrás. Ou seja 3 da tarde em Portugal, é meio dia aqui. Foi fácil habituar às horas, o confuso foi andar por Madrid, Chile, Ilhas Falklands com fusos horários diferentes e tinhamos de estar bem atentos a estarmos no aeroporto a horas locais.

Beijinhos e obrigado pelas boas questões!

José