domingo, 11 de outubro de 2009

O Sol| The Sun

A escrever a partir de Bird Island, Geórgia do Sul (Antárctica)
Writing from Bird Island, South Georgia (Antarctic)

















(Todos gostamos do sol. Pinguins gentoo Pygoscelis papua na sua casa ao sol| Everyone loves the sun. Gentoo penguins Pygoscelis papua at home in the sun)


O sol, o sol, o sol...estou sempre a falar do sol. De certeza que os nossos genes portugueses têm registado a sua importãncia no meio das citosinas, timinas, adeninas e guaninas do nosso ADN. Quantas vezes fomos apanhados a falar dele quando chove por mais de um dia? E quando ele brilha....algo dentro de nós, na nossa essência, fica melhor...a nossa alma sorri tal como rever um bom velho amigo a dizer "olá!! sempre bom ver-te novamente!"! Mas é assim tão importante? Possivelmente não é preciso ir para a Antárctica para perceber isso...ou talvez até é!

















(Otária do Antárctico Arctocephalus gazella a deliciar-se na neve ao sol| Antarctic fur seal Arctocephalus gazella lying in the sun on a snowy beach)


Por todo o mundo, Portugal é conhecido pelo seu bom clima. E acreditem, é verdade. Sim, chove mas o bom tempo é parte do quotidiano. No Algarve, por exemplo, é quase todo o ano e os adoráveis residentes "portugo-estrangeiros" o sabem. O sol, está sempre quase presente, e mesmo que chova, ele aparece quase sempre no mesmo dia. O valor a que damos ao nosso clima deve-se a felizmente termos uma alegre sazonalidade. Percebemos (pelo menos, por enquanto) quando começa a Primavera e progressivamente notamos o calor a convidarmos para uns mergulhos no Verão, o início da escola com as primeiras chuvas e aqueles adoráveis dias de Inverno a ver chover lá fora e nós no quentinho...mas em todo o ano, quando o Sol aparece, faz toda a diferença no dia...

























(Num dia de sol ameno parece estarmos numa ilha tropical, se não fosse os albatrozes de cabeça cinzenta Thalassarche chrysostoma a dizer-nos que estamos no Antárctico| In a sunny warm day it seems that we are in a tropical island...if the grey-headed albatrosses Thassarche chrysostoma were not in the photo...)

E nota-se em todos os sorrisos de toda a gente, quando o sol volta depois de um dia cinzento...em Inglaterra é tão obvio. Passa-se dias, e até semanas, sem ver o ver. Cheguei ao ponto de não ligar ao tempo. Ligava o automático (e ainda faço isto quando estou em Inglaterra) e pronto: duche, vestir, pequeno almoço, pegar na bicicleta, atravessar Cambridge e chegar ao instituto quase (sempre) ensopado da tanta chuva.




















(Cambridge num dia de sol|Cambridge on a sunny day)


E como tinha como referência o bom sol português, para mim se chove-se significava jogo de futebol cancelado. No primeiro jogo em Inglaterra não apareci pois logicamente estava a chover; "jogo cancelado", pensei eu. Na Segunda-feira seguinte os amigos todos a perguntar se eu estava bem e a questionarem-me porque não tinha aparecido. Resposta deles após a minha justificação com um sorriso : "José, se os jogos fossem cancelados quando chovesse, não haveria campeonato que terminasse em Inglaterra:))))". E assim, conhecei a perceber que, esteja a chover ou não, a vida continua...mesmo que seja a jogar à bola à chuva!


















(Para mim jogar futebol a chover era como convidar alguém a dar um mergulho nestas águas| Playing football in a rainy would be as ridiculous as inviting anyone to go for a swim in these pancake ice waters in your small swimming suit)


Nos dias de sol Inglaterra, particularmente nos dias quentes de Verão, é algo que deve ser registado. Toda a gente põe uma T-shirt de Verão, protector solar, tudo para um bom piquenique e todos para o parque ou junto ao rio para aproveitar ao máximo o sol. E os parques ficam a transbordar de pessoas, como houvesse um concerto de música...tão bom esses dias de Verão!


Aqui, na Antárctica, o sol também aparece mas não sempre como as fotos fazem parecer. As fotografias que tiro são sempre obtidas quando existe boa luz mas pode dar uma ideia contraditória sobre o clima. Em Bird Island, as estatísticas dizem que temos 10 dias de sol por ano, o que não acredito. Temos muitos mais dias de sol, diria pelo menos 1 dia por semana vemos o sol e dá-nos para sobreviver até à próxima semana. E tal como em Inglaterra, se há sol toda a gente quer aproveitá-lo e nota-se uma sensação de excitação no ar: nós, os cientistas, estamos felizes, as focas estão felizes, os albatrozes ainda mais alegres, os pinguins a fazer mais festa do que o costume. E foi aqui que dei ainda mais valor ao sol.

















(Elefante marinho Mirounga leonina a relaxar ao sol| Southern elephant seal Mirounga leonina lying in the sun)

Por alguma razão se diz que o sol é uma das fontes necessárias para a vida...mas para lhe dar o valor que merece é preciso que tenhamos também uns dias de chuva;) Assim, tento aproveitar todos os dias na Antárctica, com chuva ou neve (é tao bom sentir as gotas de água, ou flocos de neve, a bater-nos levemente na cara), nublado ou nevoeiro,... e principalmente, todos os magníficos dias de sol.

Sun, sun, sun...we are always talking about the sun. Surely our genes must have some encryption of its importance in our DNA. How many times have we been caught talking about the weather? And when the sun shines, it has such an effect on us! In UK, it rains a lot but when the sun comes through the clouds everyone get their Summer clothes, a nice drink from the closest Pub and go directly to the park. It took me some adaption to english weather. For me playing football with friends in rainy days was out of the question until it was clear that life should carry on, on rainy or sunny days. In the Antarctic, the same applies. Being cloudy, rainy, foggy or any other type of less inviting weather to go outside, it does not matter. There is work to be done...but on sunny days, something inside us clicks to remind us. When it is sunny, the Antarctic is simply even more special. On those days, far more than the 10 sunny days per year mentioned by the statistics for Bird Island, everyone is happy: the scientists, the fur seals are more friendly, the penguins seem to be in a party mood and the albatrosses even more excited. For some reason, it is said that the sun is essential for life...I say it is essential for your mood in the morning too;) For us to give it the importance it deserves, we also need rainy, cloudy days in our lives. Indeed, I realized that the secret is to enjoy each day as it comes, cloudy or foggy, snowy or pouring down with rain, ...but always with an eye for those special sunny days.

4 comentários:

Anónimo disse...

Eu tb sou uma adoradora de sol.Acho-o tão imprescindivel nas m/ viagens que ele não ousou deixar-me só em Bergen, Bruxelas, Londres e Moscovo :)
Em pleno Outono ele veio, em pleno, para Portugal.Pode dizer-se que estamos com uma vaga de calor. Já passa das 23h e o termometro na parede exterior das m/traseiras (onde já nem de dia bate o sol) marca 22,7º.
SE precisarem de uns grauzinhos dele, é só dizer, q eu mando em correio azul :)
Beijos
Helena

Ivete disse...

Olá José
Muito interessante este teu post!
Aqui no Brasil, como sempre há muito sol, também nunca me dei ao trabalho de valorizá-lo tanto...Não que eu não o aprecie. Mas é como dizes: só quando temos pouco é que conseguimos dar mais valor!

Grande abraço

Denis disse...

Grande zé!

vejo que o sol já te começa a fazer falta...n te preocupes que ele já vai a caminho!..grandes historias até breve amigo!
bom trabalho!

abraço!
Denis

Miriam disse...

José, estamos ansiosos por falar com você amanhã, dia 16/10!!!
07.30 da noite, pelo skype.
Beijos!
Miriam