terça-feira, 24 de março de 2009

Queremos pinguins! Penguins needed!

Latitude: 58.01 South
Longitude: 43.04 West
















(Pinguins rei Aptenodytes patagonicus na Georgia do Sul; King penguins Aptenodytes patagonicus at South Georgia)

Eu adoro animais!!!! Sejam eles pequenos, grandes, com 1 perna ou com muitas pernas. Na Antárctica, temos de tudo e o Oceano Antárctico é um autêntico paraíso. Desde ao peixe mais estranho que alguma vez vi, às lulas, e claro aos albatrozes, focas e baleias....mas os pinguins são definitivamente um dos favouritos de todos que gostam da Antárctica. O que custa é não poder ir ter com eles enquanto estiver aqui no navio...



















(Yves Cherel com uma T-shirt muito gira que dá para ver quais são os seus animais favouritos & Johnnie Edmonston, responsável pelos sistemas informáticos a bordo)

Estar no navio tem essa particularidade de estar no Oceano Antárctico mas sem tocar nalgumas coisas que vemos: vejo os albatrozes no ar mas não posso tocar, vejo as focas na àgua e nada...os pinguins a "falar" connosco quando estamos a por os aparelhos de pesca na àgua...e custa tanto não poder ir nadar com eles! Mas vou ter a desforra quando estiver em Bird Island, na Geórgia do Sul...
















(Elefante marinho Mirounga leonina na Geórgia do Sul. Calmos, porreirinhos...os pachorrentos da ilha)

















(Otária do Antárctico Arctocephalus gazella, em inglês, Antarctic Fur seal. São os curiosos que correm atrás de mim para ver qual o meu sabor...uns malandros cá do sítio!)

No entanto isso aplica-se apenas a esses animais, pois aqueles que aparecem nas redes cientificas, é uma alegria. Existem espécies com uma beleza fantástica. O peixe do Antárctico Poromitra crassiceps é um dos peixes mais fascinantes que alguma vez já vi. Não só devido ao seu ciclo de vida e de viver a grandes profundidades mas morfologicamente é daqueles peixes que nos deixa de boca aberta: a sua cabeça parece uma armadura dos cavaleiros do século XV...magnífico!

















(O peixe do Antárctico Poromitra crassiceps)

Outra espécie que me fascinou, mas por razões cientificas foi a lula/pota Psychroteuthis glacialis, que encontramos na última estação cientifica. Esta espécie deixa-me com um sorriso nos lábios não pela sua estética mas pelo que representa no ecosistema marinho da Antárctica.













(Lula/pota do Antárctico Psychroteuthis glacialis)


Esta lulinha "meia-leca"´tem um importante papel na dieta de várias espécies de pinguins e albatrozes, incluindo o pinguim rei e o pinguim emperador. Mais, encontramos 2 grupos de tamanhos de lulas desta espécie nas dietas e ainda não temos a certeza se essa diferença de tamanhos deve-se a dimorfismo sexual (machos e fêmeas terem tamanhos diferentes) ou possivelmente serem espécies diferentes.


(Pinguins emperadores Aptenodytes forsteri debaixo de àgua. Foto tirada por Jessica Meir, uma amiga e jovem cientista que estuda estes pinguins)
Assim, dá para ver que não só está tudo a correr bem e onde quer que eu esteja...vou estar com um sorriso! Até amanhã...
I love animals!!! Either big, small, with one leg or loads of legs, it does not matter. In the Antarctic, there is everything and is ultimately an amazing paradise. From the strangiest fish I have ever seen, to squid, seals and albatrosses...and of course, penguins. What is hard when on the ship is that you can see these big animals (seals, penguins, albatrosses) but can not touch them! However, this only applies while I am on the ship because when I get to Bird Island, South Georgia, I will be able to be with pinguins. However, on the ship, it is a privilege to work with animals that are simply AMAZING. The Antarctic fish that showed up in the last research station Poromitra crassiceps whose head looks like an armour used by soldiers in the XV century. Another amazing species found was the Antarctic squid Psychroteuthis glacialis. It looks like nothing special morphologically but its role in the Antarctic ecosystem is truely extraordinary, being important in the diet of various predators, including in emperor penguins diet. Looking forward to our next research station...tomorrow:)))

4 comentários:

Fatima disse...

O que se aprende com esta expedição online.
Obrigada José Xavier

Lygia Maria Couceiro Braga disse...

Olá José,

Isto parece que vai mesmo em grande!
A avaliar pela quantidade de informação que já nos disponibilizou e pelas imagens magníficas que pudemos desfrutar, posso perfeitamente imaginar o seu sorriso enquanto trabalha.
É, de facto, muito especial o trabalho que nos dá tanta alegria e felicidade.
Fico sempre muito feliz quando vejo gente que é feliz com aquilo que faz.
Essa é a mensagem que tento passar diariamente aos meus alunos, quando tentam descobrir o que hão-de fazer no futuro.
Hoje já aprendi muitas coisas o que quebra positivamente a minha rotina.
Continue assim, feliz com o que faz, porque nos entusiasma muito mais com as suas crónicas.
Que pena não poder estar também no Antártico.
Continuação de bom trabalho!
Bjs,

Lygia

Jose Xavier disse...

Queridas Lygia e Fátima!

Obrigado pelas simpáticas palavras mais uma vez.

Acreditem que com as novas técnologias é tão fácil saber de tudo e poder disponibilizar tudo rapidamente. No entanto, hoje não acordei a tempo e perdi um dia de sol (o meu turno apenas de dá o privilégio de ver os nascer do sol!)..foi o primeiro dia de sol da expedição...assim que o capitão me viu, disse-me logo como o dia tinha sido fabuloso...assim não há bronze que resista:)

Beijinhos

José

Lygia Maria Couceiro Braga disse...

Olá José,

Que pena que tenha perdido o primeiro dia de sol.
Deve ter sido um desconsolo.
Mas outros virão. Paciência.
É porque precisava mesmo de descanso. Por mais que gostemos do que fazemos e tenhamos entusiasmo, não temos raizes no chão. É preciso descansar e recarregar baterias. Estou certa de que ainda nos enviará muitas e magníficas fotografias com sol.
Bom trabalho!
Bjs,

Lygia